Como fotografar para grandes restaurantes em pouco tempo

SE VOCÊ TEM DIFICULDADE DE FECHAR TRABALHOS COM RESTAURANTES PRECISA CONHECER O EXEMPLO DO JÚNIOR ESTRUC




Recentemente eu conversei com o fotógrafo Júnior Estruc sobre o resultado incrível que ele teve em tão pouco tempo na fotografia de alimentos e, além de uma conversa super emocionante sobre sua história, ele deu dicas preciosíssimas de atitude e de prospecção que podem te ajudar.


Aqui abaixo estão alguns dos tópicos mais importantes que tirei da nossa conversa:

HUMILDADE E CORAGEM PRA COMEÇAR

“Vai fazer cinco meses que estou na fotografia de alimentos. Sempre trabalhei com publicidade e fazia muitas edições de imagens, o que me aproximou da fotografia. Pouco antes do meu filho nascer eu fiz um acordo no meu antigo trabalho e fui demitido para me dedicar exclusivamente ao bebê. Fiquei um ano e pouco em casa. Quando meu filho começou a escola eu voltei ao mercado de trabalho. E trabalhava com vendas. Sempre fui muito bom nisso. Até que comprei uma máquina fotográfica SL2.

Sempre quis trabalhar com foto de luta, tipo UFC. E com a máquina e a cara de pau, fui lá na Band tentar fotografar um evento. Consegui um trabalho lá de graça. Fui para aprender. Tinha um fotografo lá que me ajudou muito! Tudo que a gente faz com humildade dá certo!”

FAÇA COM CARINHO E SE DEDIQUE A CADA ETAPA

“Também comecei a fazer festa infantil. Eu tinha um cartão e entregava esse cartão com muito carinho para os convidados das festas. Eu sigo uma tradição do colégio japonês que meu filho estuda. Eu seguro o cartão com as duas mãos e entrego como um bem tão precioso, com todo cuidado e respeito, que a pessoa vai receber aquele cartão com o mesmo respeito. Eu saia das festas com 2 ou 3 novos contratos.”

FAÇA BOAS PARCERIAS


“Saí do emprego que eu tinha em um banco e comecei a trabalhar exclusivamente com fotos. Fiz um acordo com uma mulher do buffet aonde eu pagaria a maior comissão por indicação dos clientes. Se algum outro fotógrafo repassava 10% de comissão, eu passaria 15% para ser indicado para tirar as fotos dos eventos. Recebi uma agenda com muitos clientes dessa moça do buffet. Até que chegou a pandemia...”


SAIBA FILTRAR AS INFORMAÇÕES


“Eu olhava as fotos de produtos que eu tirava e com os resultados ruins eu pensava que tinha que jogar minha máquina fora. Comecei a pesquisar cursos e o algoritmo das redes sociais foi me apresentando muitas opções. Eu comecei um curso e eu me sentia muito mal por que eu não tinha os equipamentos que o professor trabalhava. Eu começaria falido só comprando todo o material que ele passava.”

DIGA NÃO ÀS DESCULPAS E FAÇA O QUE PRECISA SER FEITO




“Até que apareceu o seu perfil, e comecei a acompanhar. Eu percebi que com a sua explicação eu conseguia fazer as coisas. Descomplicado. Fui olhar meu bolso e percebi que não tinha grana pra nada. Muito menos para fazer o curso. Eu vi que tinha um workshop de graça e fui fazer. Me encantei e decidi pedir dinheiro emprestado para fazer o curso. Pedi o cartão para meu sogro e parcelei em 10 vezes! E mesmo se ele não tivesse me ajudado eu ficaria muito no seu pé Marlière, pra conseguir desconto e tudo o que fosse possível!

Consegui fazer o curso e mudei uma chavinha dentro de mim. Sempre tive dificuldade em ter foco. Diferente da minha esposa, que é muito mais centrada. E quando ela viu que eu estava gostando e tendo resultados, ela me disse pra investir nisso e focar toda minha energia na fotografia de alimentos. E foi isso que eu fiz. O seu curso e o foco e ajudaram a criar a coragem que eu precisava. Depois do curso eu não consegui ficar parado. Fui atrás de clientes!



Eu não tinha dinheiro para comprar nem os morangos pra fazer as atividades do curso. Eu precisava aprender ganhando dinheiro.


Comecei cobrando 150 reais! Eu falava para as pessoas que eu estava aprendendo, começando. E as pessoas contratavam. Aí foram aparecendo outros contratos um pouco melhores. E sempre estudando mais! Eu tenho todos os seus vídeos guardados aqui. Quando aparece alguma coisa de churrasco ou carne eu sei que está no vídeo tal.”




APRENDA A LIDAR COM OS ALTOS E BAIXOS

“Altos e baixos são normais para qualquer empresa. Mês passado meu irmão ainda me ajudou financeiramente, mas esse mês já estou com muitos clientes e pensando em jogar para o próximo mês. Meu Instagram está com mais de 9 mil seguidores! Isso é por causa dos trabalhos para o Jacquin do MasterChef e da Carole Crema!



Agora eu estou cobrando em torno de R$ 900. Pensa que eu não tenho nem 5 meses como fotógrafo de alimentos!”

PROSPECTAR COM HUMILDADE E PERSISTÊNCIA


  • “Eu começo a prospectar pelo Instagram. Eu criei um texto padrão falando o que a foto pode fazer e como ela pode ajudar a vender. Então envio para os potenciais clientes. Tenho também um site para divulgação. E eu fico em contato direto com o cliente. Mando mensagem ou ligo para me apresentar. Até conseguir apresentar a proposta.”

  • “Eu tirei foto em uma hamburgueria e o cliente foi sincero comigo dizendo que não gostou. O que eu fiz? Peguei minas coisas e voltei lá na loja dele pra fazer novas fotos. Não desisti do cliente. Hoje somos amigos.”


  • “Eu aprendi a me relacionar com cliente difícil. Como eu trabalhei muito tempo com vendas, desenvolvi uma estratégia para conseguir mais contratos. Eu chegava nas lojas com a camisa da minha empresa e as pessoas já me mandavam embora, dizendo que não queriam comprar. Em uma dessas situações, retruquei, dizendo que queria tomar um refrigerante. O dono logo mudou a postura e me recebeu melhor. Repeti a ida como consumidor algumas vezes até o próprio dono me chamar para que eu apresentasse a proposta. Ganhei o direito de ser ouvido”



  • “Outro ponto interessante é tratar todo mundo com muito respeito. A atendente pode não ser a dona da loja, mas se você for educado, ela pode ser seu indicador na hora da venda e falar bem de você ou do seu produto para quem decide a contratação.”